Moyses Moreira Lopes

Moyses Moreira Lopes

Sexo não é pecado

terça-feira, 23 de outubro de 2018 por Moyses Moreira Lopes

Creio que a Bíblia é a única regra de fé e prática do cristão. Creio que ela não é um livro mítico, mas é a Palavra de Deus inspirada. Creio nas palavras de Jesus, quando se referindo as Sagradas Escrituras, disse: “Eles têm Moisés e os profetas; ouçam-nos.” (Luc.16:29) Numa outra ocasião, declarou:-“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna e são elas mesmas que testificam de mim.”(Jo. 5:39) Creio no que disse São Pedro: “A palavra do Senhor permanece para sempre.” (I Ped. 1:25) Creio em São Paulo, o apóstolo de Jesus Cristo, que afirmou que “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” (II Tim. 3:16)
A Bíblia diz que, quando Deus criou o homem, viu que não era bom que ele vivesse só e criou a mulher. Instituiu o casamento e, na primeira cerimônia matrimonial, disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo o animal que rasteja pela terra.”
Sexo não é pecado.
Os teólogos reformados, reunidos em uma das salas da Abadia de Westminster, na cidade de Londres, no período de julho de 1643 a fevereiro de 1649, quanto ao matrimônio, tomando como base a Bíblia Sagrada, declararam que “o matrimônio deve ser entre um homem e uma mulher e que foi ordenado por Deus para o mútuo auxílio de marido e mulher, para a propagação da raça humana por uma sucessão legítima e da Igreja por uma semente santa e para impedir a impureza.”
Pecado é a transgressão de uma lei.
Nota-se, claramente, que o sexo não é pecado, pois sem ele não haveria a multiplicação da espécie humana. O sexo é pecado antes do casamento. É pecado, também, a pedofilia, a zoofilia e todos os casos proibidos na Palavra de Deus, conforme está registrado no livro de Levítico, no capítulo dezoito. Disse Deus e Moisés, o libertador do povo de Israel, registrou para o ensino do povo: “Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne para lhe descobrir a nudez. Eu sou o Senhor.” No mesmo capítulo que fala dos casamentos ilícitos, fala, também, das uniões abomináveis.
São Paulo que não se casou de livre e espontânea vontade, falando sobre o sexo no casamento, disse, aconselhando: “Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntais para que Satanás não vos tente por causa da incontinência.”( I Cor.´7:5)
Seja, portanto, feliz no seu casamento e que haja respeito mútuo e que “o marido conceda a esposa o que lhe é devido e, também, semelhantemente, a esposa ao seu marido.” (I Cor. 7:3)

 
 
0918_fibria