Moyses Moreira Lopes

Moyses Moreira Lopes

Virtudes Teologais

terça-feira, 23 de outubro de 2018 por Moyses Moreira Lopes

Na época de chumbo, dei algumas aulas de Educação Moral e Cívica, bem como de Organização Social e Política. Na época, recebi autorização de um General do Exército, uma vez que uma autoridade do Ensino exigiu tal documento. O tempo passou.
Uma das aulas que ministrei foi sobre as virtudes. O apóstolo Paulo, escrevendo para os cristãos de Corinto, disse:- “O reino de Deus não consiste em palavras, mas em virtude.” Depois, lendo o texto no original, verifiquei que no grego a palavra não é “virtutem” mas “dinamei”, que é poder. Tanto “poder” como “virtude” exprimem força. Do latim “virtutem” acusativo de virtus que por sua vez deriva de “vir” homem. Em latim “virtus” é originariamente a qualidade própria do homem, e, portanto, a força, a coragem. Depois, com o tempo, passou a significar habilidade, capacidade em vários campos. Por influência dos filósofos da Grécia o termo adquiriu o sentido atual de qualidade moral.
O apóstolo Paulo, no seu cântico sobre o amor, dizendo o que ele é e o que não é, concluindo, usando uma chave de ouro como se faz num soneto, disse: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor” estes três, porém o maior destes é o amor.”
Com a fé adquire-se a vida eterna, porém não é ela quem salva, mas é apenas um meio. O escritor sacro diz:- “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé e isto não vem de vós, é dom de Deus. Pela locução prepositiva “por meio de” nota-se que a fé é um meio. O salvador é Cristo. A fé é uma dádiva divina.
Depois, o escritor sacro fala da esperança. O cristão tem a esperança da vida eterna. Tem esperança de que fechando os olhos neste mundo, abrirá os espirituais na glória eterna. Tem esperança da ressurreição, sabendo que o penhor da sua ressurreição é a de Cristo. Tem esperança que vai receber um corpo glorioso e incorruptível como o de Cristo. Crê nas declarações paulinas que se encontram em Primeira Coríntios, capítulo quinze.
Por fim o cristão autêntico sabe que a maior de todas as virtudes é o amor, isto é, o “ágape”. Sabe que aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Sabe que a concretização do amor de Deus-Pai é Jesus Cristo e só ele e ninguém mais pode salvar o pecador. Sabe que é o amor que cobre uma multidão de pecados, pois quando um pecador aceita a Cristo, deixa de cometer uma série de iniquidades. Sabe que aquele que diz que ama a Deus e odeia a seu irmão é mentiroso, pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus a quem não vê.
O amor é tudo. Foi por isso que destacando as virtudes teologais, São Paulo disse que a maior virtude é o amor. Ame e será amado.

 
 
0918_fibria