Moyses Moreira Lopes

Moyses Moreira Lopes

Uma Lenda e Jesus

domingo, 26 de maio de 2019 por Moyses Moreira Lopes

O grande paladino presbiteriano, Rev. Miguel Rizzo Jr., descrevendo a personalidade divina de Jesus, narra uma lenda, onde a personagem principal é o nosso salvador Jesus Cristo. Cito-a, como li e não como ele escreveu, usando a minha linguagem e o meu estilo.
Caminhava Jesus pelas ruas de Jerusalém com os seus discípulos. Era deus e homem andando. Como Deus procurava salvar os homens da perdição eterna e como homem usava o método dos filósofos peripatéticos e tudo era motivo para ensinar.
De repente, ao longo de uma calçada, viu um cãozinho, cuja alma vivente fugira e o seu corpo já entrava em decomposição. Sem vida, a carne torna-se fétida, afastando os olhos dos transeuntes que tapavam as narinas para não sentir o mau odor que o corpo moral e morto exalava.
Alguns aproveitavam a oportunidade para atacar o alcaide e todos os seus secretários. Outros falavam mal dos administradores em geral. Todos viravam o rosto e tapavam a narinas com asco.
Jesus, silenciosamente, depois de observar bem o animal que jamais vira como ser humano, diz, olhando para os circunstantes e para o cãozito: Que lindos dentes possui aquele animalzinho!
Todos viram o corpo que se desfazia. Todos sentiram o mau odor que exalava o corpo morto. Todos viram podridão, imundícia, lixo e sujidade. Só Jesus viu os dentes que, como marfim, eram brilhantes e luzidios.
Cristo, no seu célebre sermão da montanha, afirma que “a luz do corpo são os olhos.” ( Lucerna corporis tui est oculus tuus) Depois ainda diz:-“ de sorte que se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz.”
Caro leitor, você tem bons olhos? Jesus ordenou:-“Olhai para as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Com estas palavras Jesus quis ensinar que não devemos viver ansiosos pela nossa vida, quanto ao que havemos de comer ou beber; nem pelo nosso corpo ao que havemos de vestir. Depois, Cristo, sabiamente, conclui, dizendo que nós valemos muito mais do que as aves do céu.
Pare e observe as aves que amanhecem todos os dias louvando a Deus e muitas, em grupo, formando até mesmo um conjunto coral, tão belo como o da Igreja Presbiteriana, regido pela Maestrina Joyce Santana.
Louve a Deus como as aves, pois o salmista exorta: “Louvai ao Senhor, porque é bom e amável cantar louvores ao nosso Deus”.