Moyses Moreira Lopes

Moyses Moreira Lopes

A Beleza de Cristina

domingo, 26 de maio de 2019 por Moyses Moreira Lopes

Cristina, quando passava diante de um carro estacionado, não deixava de se contemplar. O vidro, que se transformava num espelho, exibia as suas formas, dos braços nus de cima a baixo, dos próprios olhos grandes e contemplativos. Era uma linda mulher e ela sabia disso.
Foi, num dia desses, que a vi, diante de um automóvel, voltando-se da esquerda para a direita e vice versa, com muita rapidez, acomodando a blusinha vermelha no busto. Quando ela me viu, corou-se, mas fiz de conta que não vira e cumprimentei-a naturalmente. Ela, como todas as pessoas que são surpreendidas, dissimulou-se e perguntou como fora a minha viagem para Israel e o que mais me chamara a atenção.
Não pude conter um risinho, porém procurei ser o mais discreto possível e respondi que tudo era muito belo, emocionante e sentimental.
- Aprendi muito, respondi. Fiquei admirado com as flores, com os frutos e com a grande quantidade de pedras. As rosas eram enormes e os frutos grandes e doces. Que beleza! As casas eram de pedras, e de pedras eram os calçamentos e as escavações arqueológicas. As montanhas eram nuas e havia muitas pedras e lembrei-me de vários textos bíblicos e a razão de Cristo usar a pedra para explicar as suas aulas.
Cristina pôs em mim aqueles olhos radiantes e eu falava, olhando para ela, como para uma filha. Apelei para a Bíblia, que é a única regra de fé e prática do cristão, usando o Velho e o Novo testamento, como fazem todos os calvinistas, e disse que agora, mais do que nunca, aprendera a razão das aulas de Jesus.
Cristo, falando sobre a oração, disse aos seus discípulos: “E qual dentre vós é o homem que, pedindo–lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? ....Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhos pedirem.” ( Mat. 7:9) Jesus, profetizando a destruição do templo de Jerusalém pelos romanos, no governo de Tito, que se deu no ano 70 dC, disse:-“Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.” (Mat. 24:2)
Como eu queria instruí-la, disse, finalizando, embora tivesse muito que falar, que Jesus é a pedra principal da Igreja e citei Pedro: “E chegando-vos para ele (Cristo) – pedra viva reprovada pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa.”(I Pedro2:4)
Despedindo, peguei-lhe na mão, apertando-a e disse: Consulte uma Bíblia com concordância. É interessante o emprego do vocábulo pedra.