Ivan Barsanti

Descrição pendente

Agenda - 599

sábado, 20 de outubro de 2018 por Ivan Barsanti
A itapetiningana Camila Terra Barsanti e o namorado Antônio Eduardo Mendes Simões, no Rio de Janeiro, nas Olimpíadas 2016, na praia de Copacabana. A itapetiningana Camila Terra Barsanti e o namorado Antônio Eduardo Mendes Simões, no Rio de Janeiro, nas Olimpíadas 2016, na praia de Copacabana.

Rio 2016
A itapetiningana Camila Terra Barsanti com o namorado Antônio Eduardo Mendes Simões (residentes em São Paulo) no Rio de Janeiro, no último seis, num sábado, assistindo, à noite, vôlei de praia, em Copacabana, durante as Olímpiadas. Camila Barsanti é administradora na área de recursos humanos do hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo e Antônio Eduardo é engenheiro elétrico da General Motors do Brasil.

 

Situação precária
Professores itapetininganos da rede estadual de ensino daqui estão atentos ao que as “mídias”, principalmente a escrita estão comentando sobre o não reajuste anual (já há dois anos) que o governador do Estado Geraldo Alckmin (P.S.D.B) está impondo ao magistério. No último vinte e dois de junho, a (poderosa!) colunista Mônica Bergamo do Caderno Ilustrado (segundo página) da “Folha de São Paulo”, edição nacional comentou que o secretário da Educação do Estado de São Paulo, José Renato Nalini, está descontente com o arrocho salarial imposto por Alckmin aos professores da rede estadual. O secretário Nalini, de acordo com a colunista Mônica Bergamo, já demonstrou ao Palácio dos Bandeirantes, esse seu descontentamento. No tradicional Jornal dos Professores do Centro do Professorado Paulista, deste último agosto, Silvio dos Santos Martins, supervisor de ensino aposentado, de Tupã, São Paulo, escreve que: - “Ninguém suporta mais esse arrocho salarial. Nem os professores, nem o próprio secretário de Educação. Só o governador Geraldo Alckmin (P.S.D.B.) não se deu conta disso ...”


Braçadas
Marilia, cidade do interior paulista, aparecendo muito na “mídia” brasileira e tudo por causa de um de seus filhos, o atleta Thiago Braz, campeão (olímpico) do salto com vara na atual Olimpíadas Rio 2016. Um ouro inédito para o Brasil, comemorado com grandes manifestações de júbilo. Mas a cidade paulista de Marília já produziu um outro grande atleta de nome Tetsuo Okamoto campeão brasileiro de natação, há anos atrás. E quem conta sobre Tetsuo é o escritor Waldomiro Benedito de Carvalho, o “Chuca” em sua obra “Clube Venâncio Ayres – 121 anos de história”, edição do autor, Itapetininga-SP, 2011, 19ª edição. Waldomiro Carvalho comenta que o nadador Tetsuo Okamoto, natural de Marília, que participou da Olimpíada de Helsinque, na Finlândia, onde ganhou a primeira medalha em natação para o Brasil (de bronze) foi convidado pela equipe do presidente do Clube Venâncio Ayres, Darcy Vieira, na época para inaugurar a piscina do Clube, na sede social, no dia vinte e cinco de janeiro de hum mil novecentos e cinquenta e dois (1952). O campeão Tetsuo veio para cá, inaugurou, conquistou os itapetininganos com sua simpatia e ainda coroou Olga Maria Camargo Pellegrini como “Miss Clube Venâncio Ayres”, no mesmo ano. Foi Tetsuo Okamoto quem projetou a cidade de Marilia no cenário esportivo nacional.


O padre Júlio César da Paróquia e Santuário Nossa Senhora Aparecida do Sul, nesta cidade, comentando: - “Já andei por várias cidades, mas Itapetininga me impressiona. O povo daqui é muito religioso, as pessoas frequentam muito as igrejas e cooperam com tudo. Estou muito feliz aqui”.

Sempre ele
Na penúltima segunda-feira, quinze, Guy de Oliveira, professor de Matemática da rede estadual de ensino desta cidade e professor de Informática, corintiano “roxo”, comentando a derrota de seu time (campeão do ‘Brasileirão’ o ano passado) diante do Grêmio no Estádio Olímpico em Porto Alegre pelo Campeonato Brasileiro de Futebol na rodada anterior: -“ O culpado é o técnico Cristóvão Borges. Foi mexer em peças e esquemas táticos que Tite (que foi para a Seleção Brasileira de Futebol) tinha deixado tudo arrumadinho”. O professor Guy é tão torcedor do alvi-negro paulista que quando seu telefone celular toca ouve-se imediatamente o hino “Salve o Corinthians, campeão dos campeões” ...

Decisão
O vereador Fuad Abraão Isaac do Partido dos Trabalhadores daqui ao justificar o porquê não irá candidatar-se novamente ao cargo na Câmara nem a prefeito (ou vice) comentando: -“é bom e salutar ficar um determinado tempo de fora até para analisar melhor os fatos políticos. Isso seria até melhor para uma possível volta. Mas isto não quer dizer que irei ficar longe do debate político. Estarei sempre atento às necessidades do município. Neste tempo de ausência, pretendo voltar a uma das minhas paixões, o jornalismo.

Repouso
Recuperando-se de uma intervenção cirúrgica feita em torno de um mês atrás, no Hospital da Unimed daqui, o diretor (já aposentado) do departamento de Recursos Humanos do Departamento de Estadas de Rodagem daqui, Edson Zaglobinsky de Campos, em sua casa, na Vila Rosa.

Broadway
Desta vez, Enir Soubhia Nunes não esperou ser chamada por “promoters” daqui desta cidade para ir assistir o musical norte-americano “My Fair Lady” que estreia neste final de semana no teatro Santander no chick “Shopping Iguatemi-JK” na avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, região central de São Paulo. Para Enir, professora de Inglês, aqui (já aposentada), “My Fair Lady” é um dos seus musicais preferidos (o outro é “Um Violinista no Telhado”) e ela não quer perder o espetáculo por nada, tanto que já reservou um lugar privilegiado para o próximo setembro. Enir quer ver bem de perto “My Fair Lady” em todos os seus pormenores como na música de Frederick e libreto de Alan Jay Lerner nesta produção do paulistano Jorge Takla, versão brasileira de Cláudio Botelho e no elenco o ator (paulistano) Paulo Szot, a cantora Daniele Nastri e Sandro Cristopher. Além dos deslumbrantes cenários de uma Londres do século dezenove, as roupas, as músicas. Tudo isso a itapetiningana Enir Soubhia Nunes quer ver, ouvir e sentir.

Previsão
Um dos itapetininganos que mais conhece tecnologia moderna nesta cidade, o empresário Marcelo Camargo considera que, no futuro (e hoje o futuro bem muito rápido!) esta tecnologia estará voltada para a melhoria da saúde do corpo humano. O foco do investimento (tecnológico) estará voltado para o ser humano. Dai as consequências das doenças serão bem menores.


Pincel
Na abertura da exposição de pintura “Itapetininga” (sobre os prédios históricos desta cidade) com quadros, do pintor Jacinto Pujadas Soler, na última sexta-feira, dezenove, à noite, na Virgílio de Rezende, 427, o convite trazia os escritos d a poetisa Cecilia Fogaça – “A essência poética da cidade pelas mãos de Pujadas e na singeleza das pinceladas, um poema de amor à Itapetininga”. A curadoria da exposição é de Valdeli Syllos. A exposição irá até trinta e um de agosto. Imperdível.

 
 
0918_fibria