Ivan Barsanti

Descrição pendente

Agenda - 597

terça-feira, 23 de outubro de 2018 por Ivan Barsanti

No último Julho
Em evento social no Clube Venâncio Ayres(salão de festas) o casal Maria Cecilia (Fontes) – Theotônio Afonso Pereira Júnior, ela, professora de Literatura Brasileira e Portuguesa e Redação para vestibulares, ele, advogado trabalhista.

 

Dúvidas
Causou bastante estranheza entre segmentos de filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores, o P.T., desta cidade, quando souberam de recentes declarações do juiz curitibano Sérgio Moro, um dos responsáveis pela Operação Lava-Jato, recentemente ditas em Washington, nos Estados Unidos, de que, a menos que haja imprevisto, dará seu trabalho concluído na citada Operação antes do final deste ano. A estranheza de alguns petistas itapetininganos fica por conta de que a corrupção na Petrobras antes do governo Lula, já existia, ao menos na década de 1.990. Justamente nesta década, segundo o já falecido jornalista Paulo Francis (Da “Folha de São Paulo” e do “Manhattan Connection”, da Globo News) já denunciava grandes escândalos na Petrobras, com um pessoal sem idoneidade moral para o posto que ocupava lá. Como não possuía instrumentos logísticos para provar suas acusações, Paulo Francis foi condenado a pagar cem milhões de reais para a empresa, por danos morais. Mas não houve nenhuma investigação das acusações de Francis. Para segmentos do P.T. Itapetiningano cabe a pergunta que não quer calar: “Quem era o presidente da república naquela época?”.


Comemoração
Presente no assistido programa “Telescópio da TVI” (Canal 088-Net Digital), na semana retrasada, a advogada itapetiningana, Luciana Terra Villar, nos dez anos de promulgação da “Lei Maria da Penha” ( que, como vocês sabem, pune severamente homens que agridem fisicamente as mulheres) comentando:_ “O problema da violência contra a mulher não é só pela agressão física masculina, mas também psicológica (o excesso de ciúme masculino na relação amorosa e a violência patrimonialista (no caso de um casal quando a mulher que não tem bens concretos próprios tem que suportar viver ao lado do homem que a mantém e que a agride)”. Bastante preparada, inclusive neste quesito “Maria da Penha” e em outros recursos judiciários, Luciana Terra Villar é uma das responsáveis pelos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB daqui.

Letras
A itapetiningana e poetisa Déa Paulino que, frequentemente, promove saraus literários, ora na Biblioteca Municipal como na “Travessa 81”, próxima ao Menk Plens, não resistiu e esteve no último julho, da Feira Internacional do Livro, a Flip, em Parati, Estado do Rio de Janeiro, participando de tudo a que tinha direito como assistir as palestras proferidas, frequentar mesas literárias, conversar pessoalmente com autores presentes e sentir realmente o clima de uma “Feira de Livros” famosa no mundo ocidental assim como passear por uma cidade que, urbanisticamente, lembra o Brasil imperial. O tema da Flip deste ano foi sobre a poetisa carioca Ana Cristina César, que, no inicio da década de 1980 suicidou-se aos trinta e três anos de idade. A itapetiningana Déa Paulino aprecia a obra de Ana Cristina, mas prefere mais sua prosa narrativa do que seus poemas. Déa gostou bastante de participar no encontro literário de Parati.

A volta
Chegando recentemente de Paris, França, a supervisora estadual de ensino, já aposentada da então Delegacia de Ensino daqui e também ex-secretária da Educação de Alambari, Luzia Helena do Amaral Bergamin. Foi a terceira vez que Luzia Bergamin, que reside em Vila Rio Branco, esteve na muito apropriadamente chamada “Cidade Luz”. Luzia não se cansa de ver a Torre Eiffel “in loco”. E quando é perguntada se ir lá está perigoso, ela responde: -“ Bobagem, violência existe em qualquer lugar do mundo”.

Chegada
Voltando recentemente de Santiago e arredores do Chile, os casais itapetininganos: “Suzana Eugênia (de Mello Moraes) – Ariovaldo Albuquerque, ela, diretora de escola da rede estadual de ensino, já aposentada e ex-secretária municipal de Educação (nos segundo governo do prefeito Roberto Ramalho). Arima (Albuquerque) – Edinho Lara, ela, supervisora estadual de ensino, aposentada, e ele, engenheiro; Rita (Moraes) – José Rubens Leonel, ela, funcionária federal, ele, publicitário. ; Cláudia (Tardelli) – Osvaldo Moraes Neto, ele, engenheiro.


Night
No penúltimo sábado, trinta, último de julho, numa noite não tão fria, no aconchegante restaurante “Magnólia”, na Fortunato Mazzei, em Vila Rosa, em torno de uma mesa, os casais: Daise – Ronaldo Palezzi, Liabel - Valdecy Cardoso (residente em São Paulo) e Vânia – Alceu Cardoso Neto, ele médico oftalmologista.

Querida dama
As “promoters” itapetininganas Leomira Camargo Nunes e Vera Lúcia Abdala já colocaram em suas agendas e também já prometeram levar suas felizes turmas para assistir o musical (que estreia no próximo vinte e sete deste mês) “My Fair Lady”, no novo teatro Santander no muito “chic” Shopping Iguatemi-JK, precisamente na avenida Juscelino Kubistechek, em São Paulo. Nesta nova montagem de “My Fair Lady”, baseada na peça “Pígmalião” do inglês George Shawn, com músicas (eternas!) de Alain Jay Lener e letras de Frederick Low, quem interpretará do papel da arrogante professor O’ Higgins será o tenor paulistano Paulo Szot que já faz uma carreira de sucesso na Broadway novaiorquina. Agora é só esperar o chamado das duas (Leomira e Vera) “promoters” itapetininganas.

Anos oitenta
O casal Suely (Cyrineu) – Décio Araújo, ela, dentista, ele homem forte do Instituto Nacional de Seguro Social, o I.N.S.S, em Sorocaba, aplaudindo, no penúltimo sábado, trinta, a banda de rock paulistana “Ira”, que veio com a formação original, com o vocalista Nasi e o guitarrista Edgard Scandurra, na “Festa do Preto”, no Clube Venâncio Ayres. Segundo Suely Cyrineu: - “Como não ir? Eles embalaram os bailes da nossa juventude ....”.

Como não ir?
É muito, muito para três dias seguidos de agosto. No próximo vinte e cinco, numa quinta, no Teatro do Sesi, em Vila Rio Branco, a apresentação do violonista gaúcho Yamandú Costa. Na sexta-feira, vinte e seis, o pianista Arthur Moreira Lima, no espetáculo “De Bach a Pixinguinha” e no sábado, vinte e sete, o conjunto musical Peixe Seco. Todas as apresentações serão às sete e meia da noite.

Paradisíaco
Aldo Bassoli ( do”Beta Turismo”) leva no próximo setembro, felizes conterrâneos itapetininganos para as delícias de Cartagena, San Andrés ( a nova sensação do Caribe com suas águas cristalinas) e Bogotá ( com seus oito milhões de habitantes). Tudo isso na Colômbia, América do Sul.

 
 
0918_fibria